Conheça a dupla brasileira que revigora o g-house em três dimensões - 09/01/2017


Por: Felicio Marmo
Foto: Lucas Bonito


 


O ano de 2016 foi um período de transições interessantes onde novas ideias trouxeram um peso a mais pros graves e muita coisa bacana surgiu no meio desse caminho. Gêneros polêmicos a hashtags divertidas lotaram discussões no Facebook mas nem tantos assim conseguiram se sobressair nas pistas.

Em um curto período de produção, no entanto, a dupla Kush 3D já carrega um case de tracks próprias que cada vez chamam mais atenção por onde passa. O duo apareceu com um som marcado pela fusão de woobles e tech house com uma pitada de sampledelia de rap olschool e desde então prestei atenção no que estavam fazendo e pude acompanhar sua evolução.

O duo é formado pelos irmãos Leonardo Sanches e Fernando Sanches e terminou o ano de 2016 repetindo a boa dose de lançar pela 2ª vez na maior gravadora de g-house do mundo no mesmo ano. Na coletânea “Brazillian G”, que saiu no começo de novembro, o projeto de São Paulo foi convidado por Malik Mustache, quem cuidou da curadoria de mais de 30 tracks.

Mas Kush 3D, na verdade, já estava com seu lugar garantido na casa inglesa. Seu posto de inovador do gênero já era assunto quente quando esta soltou a indefectível “Blow Hoe” na V.A. “Ftre G-Hus”,  e aproveitando o ótimo momento em que a dupla prepara-se para o verão de 2017, selecionamos algumas perguntas na entrevista abaixo. Confira:



HM – Como foi pro Kush 3D participar duas vezes de coletâneas da Sleazy G? Qual foi a mais importante, dá pra destacar?

Kush 3D –
Desde que começamos a produzir nosso próprio som a gravadora Sleazy G já era referência para nossas ideias, conseguir lançar duas vezes no mesmo ano é a realização de um grande sonho. Difícil classificar um como mais importante, cada um deles teve seu valor de modo diferente. O primeiro lançamento foi aquele sentimento de debutante, estávamos pela primeira vez entre os grandes. No segundo, foi um lançamento grande só com artistas brasileiros sendo exposto mundo afora, fazer parte desse time escolhido a dedo é muito gratificante.


 


HM – Como foi o processo de produção da faixa "Fat Cash"? 

Kush 3D –
Começamos criando um loop com um sample de vocal com bastante flow de hip hop, encaixamos com um bassline com timbres de 808 bem sujos, baterias de presença bem comprimidas e alguns timbres eletrônicos mais acid.


 


HM – O que ela difere ou complementa na discografia do Kush 3D?

Kush 3D –
Na real todas nossas músicas são bem diferentes umas das outras, cada uma com sua característica. Acho que isso acontece devido ao nosso processo de criação ser bem solto e aceitar qualquer tipo de ideia, cada track que criamos tem seu lugar marcado na discografia.


 


HM – Por que vocês acham que o Malik Mustache está no lugar certo hoje? Assinando a coletânea e ajudando a movimentar a cena g-house, etc.. 

Kush 3D –
Os brothers do Malik Mustache já fizeram muito pela cena nacional e são ótimos produtores. Emplacaram o hit Top1 de 2015 com a track “Rock U” e tiveram uma bela visão nos raps nacionais mesclados com eletrônico. “Chama as Amigas” do Malik com Cone Crew foi um marco.


 


HM – Quais outros artistas brasileiros que devemos prestar atenção e estão na coletânea?

Kush 3D –
A coletânea está cheia de artistas da nova geração, Skullwell, Future Class, Goldcash e Maibee por exemplo são muito talentosos. 


 


HM – Como vocês perceberam que deveriam incluir mais elementos de hip hop nas produções de house ultimamente? 

Kush 3D – Sempre gostamos bastante do estilo de som, quando começamos a experimentar samplear vozes desse estilo nos identificamos com o resultado. O flow e as entonações do hip hop casam perfeitamente com batidas 4x4 de house, porque não quebrar barreiras entre os estilos? Afinal nós gostamos de música, e não de um estilo apenas. 


 


HM – Como tem sido construir a identidade kush house que escutamos com muitos wobbles, 808 e ao mesmo tempo uma direção mais reta, quase tech-house?

Kush 3D –
Foi um caminho que aconteceu naturalmente enquanto estávamos estudando e produzindo, sempre gostamos muito de dubstep, hip hop, rock entre outras coisas, na hora de criar novas ideias sempre usamos referências de sons que temos costume de ouvir em casa. Provavelmente daqui algum tempo nossos sons vão estar muito diferentes de hoje, estamos em constante evolução e nossa identidade Kush House se transforma a cada nova idéia.


 


HM – Cite 3 clássicos do rap que são influência pra house do Kush3D


1. Notorious BIG - Suicidal thoughts: música que originou o sample do primeiro gangsta house lançado pelo Amine Edge


2. Wu-tang Clan - Method Man: o grupo teve uma grande importância para o crescimento do movimento Hip-Hop


3. Fat Joe - Get it Poppin: foi a track de onde tiramos o sample do nosso primeiro lançamento (Club Packed with Bitches)


 


HM – Quais são as prioridades pro Kush 3D pro verão e pra 2017?

Kush 3D –
Estamos com uma Collab com Malik Mustache e NOX no forno para soltar agora no verão, fizemos um remix oficial para o grupo de rap Haikaiss, essa promete tremer muita pista por ai.

2017 vai ser um ano de muitos lançamentos importantes que já estão engatilhados, também prometemos muitas viagens para conhecer novas pistas Brasil afora.


 


Se você curte bass house nacional e internacional escute a Basstard FM e dê um suporte: