Nana Torres toca este sábado na Rio ME, mas antes bateu um papo com a House Mag - 01/12/2017

Por: Nazen Carneiro


Nana Torres é DJ Produtora carioca de grooves fortes, atmosfera profunda e dançante. Há quatro anos vencia o prêmio de “DJ Revelação do Rio Music Conference” e iniciava nova etapa em sua carreira. Tornou-se DJ residente da festa Rio ME e em 2016 foi indicada melhor DJ mulher pelo Sound Awards 2016. Com releases importantes em gravadoras de renome internacional – com faixas presentes nos charts de Kolombo, Amine Edge & Dance , DJ T e Justin Martin –, Nana Torres já tocou por todo o Brasil, além de Espanha, Alemanha, França, Irlanda, Portugal e uma apresentação histórica no festival norte-americano Burning Man. Recentemente a artista tornou-se mãe e viu tudo mudar na sua rotina. Para saber mais sobre tudo isso e sua próxima apresentação ao lado da lenda internacional Dixon, batemos um papo com ela.


HOUSE MAG: Nana Torres, obrigado por dispor um tempinho dessa vida tão atarefada para bater um papo com a House Mag! Como tem sido ser DJ, produtora, esposa, mãe... Consegue arranjar tempo para produzir ultimamente?
NANA TORRES: Minha vida tem sido bem corrida, mas gosto assim! Trabalho com o que amo, e é muito legal ter um parceiro que divide, se interessa e troca experiências sobre o meu trabalho, pois isso facilita bastante no meio dessa correria. Depois da maternidade tive que me reorganizar, com meu tempo todo para o Ben [filho da DJ], o que foi uma delícia! Depois de três meses voltei a trabalhar, tocar e produzir. Eu e o Glen nos revezamos no estúdio e na pesquisa musical, temos também uma super ajuda de ouro da vovó, ela fica com o Ben nos finais de semana quando viajamos e a tarde para que a gente consiga manter o ritmo de trabalho. Aprendi a otimizar meu tempo e me organizar melhor para dar conta de tudo.


HOUSE MAG: Você é residente da Rio ME e toca este sábado ao lado de Dixon, Victor Ruiz, L_cio e outras feras. Como é essa relação especial que você tem com a festa que é conhecida como "A queridinha do Rio".
NANA TORRES: Eu e a Rio ME temos uma relação incrível. A festa surgiu logo depois de eu ganhar o prêmio do Rio Music Conference. Toquei na primeira edição e na segunda fui convidada para ser residente. Crescemos juntos, passamos por várias coisas e é muito legal fazer parte desta festa. Ela, sem dúvida nenhuma, mudou bastante a realidade da "cena eletrônica” no Rio de Janeiro e consegue se sustentar com artistas não-óbvios e com aqueles que todos gostariam de ouvir e achavam que não teriam essa oportunidade na cidade. Todas as edições têm uma energia maravilhosa e o público sempre surpreende no carinho. Tenho muito orgulho de fazer parte de tudo isso!


HOUSE MAG:  Nestas tantas festas que a Rio Me fez, tem alguma que te marcou mais?
NANA TORRES: Chega a ser difícil não passar horas aqui citando esses momentos, mas a estreia da residência na primeira edição nos trilhos da Leopoldina foi sem dúvida uma delas. A vez que o Ali Love – após o live do Infinty Inc – pediu para cantar durante o meu b2b com o Glen foi sensacional. Ouvir elogios do Gui Boratto nas duas vezes que fiz o warm up para ele, com certeza, foi bem especial para mim.


HOUSE MAG: De DJ revelação em 2013 a DJ Produtora realidade em 2017. Quais as principais conquistas destes 4 anos?
NANA TORRES: Nesses quatro anos amadureci muito como DJ, estudei bastante para aprender a produzir,  achei minha identidade como produtora, conheci muitos lugares no Brasil e fiz duas tours na Europa...


HOUSE MAG:  Você já tocou em tantos lugares, inclusive o "Burning Man", sonho de toda mente eletrônica. Conta uma história bacana de alguma destes tours pra gente?
NANA TORRES: Burning Man sem dúvida foi a experiência mais enriquecedora. Me lembro de tocar no fim da tarde, com o céu cor de rosa e olhar para a pista e ver pessoas de todas as idades, todas mesmo, bebês, crianças, adolescentes, adultos e idosos. Consegui tocar diferentes gerações de diferentes culturas, e foi uma liberdade artística e ao mesmo tempo uma grande responsabilidade. Descobrir que estava grávida no segundo dia de tour na Europa, tendo mais um mês de gigs com ritmo frenético pela frente também foi bem louco.


HOUSE MAG: Quais os próximos planos da DJ Produtora Nana Torres?
NANA TORRES: Espero continuar evoluindo, produzindo, tocando e levando cada vez mais minha forma de sentir a música para mais lugares e pessoas diferentes. E algumas surpresinhas que ainda não posso contar.