"Club" pode ser definido como um grupo de indivíduos livremente associados que tenham em comum gostos e opiniões artísticas, literárias, recreativas, etc; ou, simplesmente, desejos de relação e interação social. Trazendo isso para o ambiente de pista, é o local de entretenimento que funciona como intermediário para a troca de informações e conhecimentos musicais dos artistas com o público, conectados por sonoridades às quais se identificam — algo que no agregado pode ajudar a movimentar a vida noturna dos locais em que estão inseridos.

No Brasil tal cultura tem ganhado projeção ao longo dos anos, e prova disso é a inclusão dos nossos clubs em centenas de tours dos maiores DJs internacionais. Seguindo o sucesso do Top 50 DJs Brasil House Mag Vevo, realizado desde 2008, inúmeros estabelecimentos se mobilizaram a fim de angariar apoio para a segunda votação do gênero no país, afinal foram os próprios clubbers que decidiram quais clubs fariam parte da lista, exaltando o trabalho desses locais tão importantes para o fortalecimento da música eletrônica local e regional.

O público teve a possibilidade de escolher entre três e cinco favoritos seguindo uma ordem de importância, sendo aceito apenas um voto por pessoa durante todo o período (um para cada perfil no Facebook). Cabe assim ressaltar, e parabenizar, o público dos clubs que mesmo sem promoverem campanha seguem entre os mais votados em 2016, o que reflete de forma fiel a popularidade das marcas e a escolha dos frequentadores. Após milhares de votos, o resultado você confere a seguir:
RANKING 2016
#1 - GREEN VALLEY
Em 2007, o Green Valley nada mais era do que uma tenda improvisada no meio de um belo espaço aberto cercado pela mata atlântica. Criado para receber uma festa local, este espaço sediou seu primeiro evento com o lendário Carl Cox comandando as pick-ups e proporcionou uma festa incrível que não perderia em nada no quesito emoção para qualquer outro evento realizado nos dias de hoje. Desde seu começo, por assim dizer, humilde, o Green Valley evoluiu e muito, e se transformou num estrondoso recinto musical proporcionando noites inesquecíveis aos milhares de clientes que atravessam suas portas, para se divertir ao som dos melhores DJs nacionais e Internacionais.

O Green Valley não é apenas um club, é uma autêntica selva em formato de festival, que se reforça a cada dia como um dos mais tenazes cenários de música eletrônica do Brasil e do mundo. Deste modo, para alimentar as expectativas de sua fiel clientela, o local passou por algumas melhorias ao longo dos anos, incluindo a implantação de um enorme lago artificial, uma segunda pista com decks imersos na vegetação local, vários bares e áreas de circulação, e até mesmo uma boutique com produtos exclusivos que levam a marca do club.

Em uma noite típica de festa, quando o sol nasce pelas 6h, ele revela os belos cenários naturais do vale verde em que o local está localizado e que dá o nome ao club. Enquanto as batidas hipnotizam uma multidão cheia de energia, rajadas de CO2 surgem para refrescá-los. Isso tudo enquanto são fascinados com um sistema de iluminação única e efeitos visuais num telão de tirar o fôlego! Os fãs do club deram ao Green Valley, por duas vezes, o título de Melhor Club do Mundo, através de uma enquete popular promovida pela revista DJ MAG inglesa, além da continua presença no pódio do top da House Mag desde 2011.
#2 - Warung Beach Club
Para o povo Balinês, Warung significa casa. Ou seja, local onde se tem o prazer de receber turistas, visitantes, e principalmente, amigos. Inaugurado em novembro de 2002, não demorou a ser considerado o club conceito número 1 do Brasil. Em sua história ganhou vários prêmios nacionais como melhor Super Club em dez oportunidades pela Cool Awards e quatro consecutivas pelo Rio Music Conference, além de ter sido citado em reportagens pelo mundo afora. Entre as principais, foi eleito em novembro de 2005 pela revista inglesa Mix Mag entre os três melhores do planeta.

De 2006 a 2010 a combinação de alguns fatores deu origem a uma fórmula de sucesso que o consagrou de fato o club e moldou o desenvolvimento da cena brasileira – e sul-americana. Foram dezenas de artistas nacionais e internacionais que fizeram presentações inspiradas e embaladas por uma multidão em estado de catarse. Os raios de sol invadindo o pistão lotado nas manhãs se tornaram uma espécie de cartão postal: o Brasil tinha um dos melhores clubes do planeta.

De 2011 em diante o Warung aprimorou profundamente sua marca: eventos itinerantes (Warung Tour), um selo próprio (Warung Recordings), uma revista impressa, festas fora do Brasil, um grande festival anual em Curitiba e diversas outras ações foram fortalecendo e consolidando um robusto universo em torno do clube. Passadas 14 temporadas, é definitivamente um lugar que consegue se manter como um dos destinos preferidos dos apreciadores do gênero eletrônico, mesmo se considerada a constante renovação da cena. Cabe assim ressaltar, e parabenizar, o público fiel do Warung, que mesmo sem o clube fazer campanha, segue entre os mais votados em 2016, o que reflete de forma fiel a popularidade da casa e a escolha dos frequentadores.
#3 - El Fortin Club
Poucos estabelecimentos no Brasil podem se orgulhar tanto dos últimos anos de trabalho como o El Fortin de Porto Belo, cuja história teve início em 2005. Inserida em um nicho de mercado que exige uma leitura especial para a montagem da programação artística, conta com uma curadoria que sabe exatamente o que os frequentadores esperam ver e ouvir na pista. Por essa e outras razões, o club catarinense ganhou a fama de errar muito pouco nas atrações e apostas que são escalados para os eventos, o que a médio e longo prazo contribuiu para uma relação de fidelidade e forte conexão entre público e marca. O resultado dessa sistemática não poderia ser outra: em 2016 alcançou a posição de número 40 no prestigiado ranking dos 100 clubs mais populares do mundo da revista britânica DJ Mag.

Pioneiro no investimento e valorização dos artistas nacionais, algo que sempre foi encarado como filosofia de trabalho dentro da casa, atualmente possui três pistas preparadas para receber DJs de diferentes vertentes: house, techno, progressive e trance. Com o olhar no futuro, uma visão própria do mercado e sem esquecer as bases que o alçaram ao patamar em que se encontra hoje, o El Fortin segue desempenhando um papel fundamental para o cenário regional e nacional. Mais do que somente um club, é atualmente um ponto de encontro em que diferenças e rótulos são constantemente combatidos, sendo a música eletrônica celebrada como um agente transformador da maior importância.
#4 - Laroc Club
“La Roc” – do francês, “A Rocha” – é um termo que faz referência justamente à localização privilegiada do club. Seus frequentadores têm a oportunidade de prestigiar eventos de padrão internacional em uma linda paisagem montanhosa e rochosa, que se torna ainda mais espetacular ao pôr-do-sol. Tal característica consolidou o Laroc como o primeiro sunset club do Brasil. O ambiente é convidativo e confortável, composto por elementos como pista de dança coberta, área open air com bangalôs, lounge e camarotes, além de uma área de alimentação com food trucks.

Inaugurado em outubro de 2015, possui seis mil metros quadrados de área construída, projetados para receber até seis mil pessoas. O clube, localizado em Valinhos (SP), já trouxe vários dos melhores nomes da cena nacional e internacional, como Nicky Romero, Hardwell, Axwell, Lost Frequencies, Ftampa, além de uma equipe de DJs residentes escolhida a dedo, composta por Marcelo CIC, Junior C, The Juns, Renato Naya e Silvio Soul. Com um soundsystem de excelência, seu palco é repleto de enormes telões de LED o que, aliado aos efeitos especiais de fumaça e de fogo, dá aos frequentadores a sensação de que estão em um verdadeiro festival de música eletrônica.
#5 - Matahari Super Club
O nome, que pertence ao vocabulário da língua Malay, da Indonésia, significa “sol” – e não é coincidência o fato do clube ter brilhado desde sua inauguração há mais de seis anos. Figurando entre os nomes de destaque da cena clubber de Santa Catarina considerada por muitos uma das melhores não só do Brasil, mas do mundo), o Matahari traz o conceito “Super Club” como um de seus diferenciais. Por essa razão, já conta com diversos prêmios como o Cool Awards 2011 e 2013, além de figurar em 37º na lista de clubs mais populares do mundo da tradicional revista inglesa DJ MAG – sendo essa a terceira vez em que se posiciona no ranking.

Em suas festas marcam presença artistas de destaque como Dimitri Vegas & Like Mike, Romeo Blanco, Gui Boratto, Sharam Jey, Vintage Culture, dentre muitos outros. Além de um soundsystem de primeiro mundo, o club também oferece serviços especiais, como área de alimentação, amplos camarotes e área VIP. Com capacidade para até três mil pessoas, a construção – branca, imponente e vistosa – mistura elementos da arquitetura contemporânea com tendas tensionadas, dialogando com as belas paisagens naturais de onde o clube está localizado, em Indaial, no interior do Vale do Itajaí, promovendo assim um ambiente confortável e convidativo em meio a exuberância da mata atlântica.
#6 - Anzuclub
Com uma reputação de 19 anos na música eletrônica, o Anzuclub é um das casas noturnas mais reconhecidas no Brasil. Mensalmente visitado por cerca de 15 mil pessoas, sua estrutura se divide em três ambientes. Integrando a lista dos Top 100 clubs da DJ Mag por oito anos (2008 a 2010 e 2012 a 2016), a crescente popularidade do Anzu pode ser medida pelas várias festas dos selos Gatecrasher, Renaissance, Godskitchen, Ministry of Sound, Club Space, Hed Kandi e Brasil Loves Ibiza. Já passaram pelo club nomes como Armin Van Buuren, Deep Dish, deadmau5, Steve Angello, Sebastian Ingrosso, Axwell, Ferry Corsten, Erick Morillo, Benny Benassi, Fedde Le Grand, Tocadisco, Kaskade, Skrillex e inúmeros outros DJs que fazem o lema do club ser de fato “Music Is Our Business!”.
#7 - Amazon Club
Tudo começou no gelado inverno de 2009, em Chapecó (SC). Pouco a pouco os artistas da região, do Brasil e de todo o mundo, começaram a se apresentar no clube. Dos residentes Pimpo Gama, Pape, Zacchi e Fran Bortolossi, que conhecem a regem a pista como maestros, aos talentos de artistas como Gui Boratto, Renato Ratier, Fabo, HNQO, Gabe, Fabricio Peçanha, Mau Mau, Renato Cohen e Leozinho; o Amazon passou a ser palco também para alguns dos maiores nomes da música eletrônica global, recebendo DJs e produtores do porte de Booka Shade, Nick Warren, Edu Imbernon, Paolo Mojo, D-Nox, Beckers, Phonique e o lendário Sasha, criando assim uma verdadeira coleção de grandes momentos.
#8 - D-edge
Reconhecido mundialmente pela excelência de uma identidade única há mais de 15 anos, o D-EDGE construiu seu prestígio ao manter elevados níveis de elegância em torno de uma arrojada proposta visual. Partindo de um sound system poderoso e de qualidade impecável, à escolha de alguns dos melhores artistas da cena musical contemporânea, tudo passa pela preocupação em prover o melhor àquilo que faz dessa pista um lugar tão especial: o público. A reputação do clube entre os grandes do mundo foi gradativamente se consolidando na mídia, ultrapassando até mesmo os limites da imprensa especializada e materializou-se em prêmios consecutivos conferidos por sua arquitetura, iluminação, som, atendimento, projetos, noites, artistas e praticamente tudo que conforma o diferencial da casa. Cabe assim ressaltar, e parabenizar, o público fiel do D-EDGE, que mesmo sem a casa promover campanha segue, entre os mais votados em 2016, o que reflete de forma fiel a popularidade do clube e a escolha dos frequentadores.
#9 - Privilège Búzios
Inaugurado em 2003, revolucionou a noite do balneário mais charmoso do Brasil. Grandes atrações nacionais e internacionais como Solomun, Steve Angello, Phonique, Carl Cox, Sven Vath, Deep Dish, Mauro Picotto e Kaskade já se apresentaram no club da Orla Bardot. A 100 metros da Rua das Pedras, foi projetado pelo arquiteto Hélio Pellegrino e erguido entre uma reserva particular e a Praia da Armação. Com seis ambientes, duas pistas de dança, lounge, dois níveis de camarotes, quatro bares, pizzaria, sushi e cozinha internacional, o Privilège Búzios se posiciona sem duvida como um dos melhores clubs do Brasil.
#10 - P12 Jurerê Internacional
Phd em matéria de elegância e day party, o P12 promove a interação e integração do público à partir de uma simbiose paradisíaca da beleza litorânea de Jurerê Internacional, Florianópolis (SC), com o mais apurado da arquitetura. Com um ar despojado e áreas destinadas aos mais diversos gostos, o clima proporcionado desde 2008 pelo beach club é inconfundível e aconchegante, atraindo pessoas de todos os cantos do mundo e movimentando um fluxo considerável não só em termos de turismo como de ecletismo musical.
#11 - The Garden
Adepto da boa estrutura oferecida pelo espaço versátil do Joinville Square Garden, o projeto The Garden – inaugurado em janeiro de 2011 e com capacidade para até três mil pessoas – resgata através de um layout flexível todo o charme do jardim às comodidades do J.S.G, materializando em bons eventos toda energia e beleza que uma festa pode oferecer. Essa organização local aliada a muito conforto, segurança e diversão, coloca o nome do projeto no seleto grupo do entretenimento nacional.
#12 - Club 88
Com um simbolismo que permeia os campos da imensidão histórica, o Club 88 resgata em um só lugar a efervescência artística e cultural de 1988 (ano de grande importância para a cena eletrônica mundial). Como logradouro, não poderia ter escolhido lugar melhor que o prédio histórico Art-Nouveau – mais conhecido por abrigar as antigas dependências do Jockey Club em Campinas (SP). Inaugurado em maio de 2013, conta com uma equipe experiente e dedicada, levando até o público experiências sonoras e visuais de caráter extremamente memoráveis.
#13 - Danghai
Autenticidade e cordialidade são talvez as duas características que melhor definem o clube Danghai, que se destaca em Curitiba (PR) desde 2009 por oferecer aos usuários uma boa estrutura e um ótimo atendimento. A autenticidade parte dos próprios conceitos do clube, que em fase de mudanças significativas na cena eletrônica nacional, valoriza tanto os artistas já renomados quanto os nomes locais em período de ascensão, contribuindo assim, de forma significativa, com o cenário atual.
#14 - Clash
O que começou com a intenção de apenas encontrar um palco que servisse de casa para a festa Circuito, transformou-se no que hoje conhecemos como Clash Club. Localizada desde 2007 na região da Barra Funda, em São Paulo (SP), a casa conta com um repertório que dá lugar não somente às vertentes do eletrônico como para os mais diversos estilos musicais. Instalada em um galpão reformado dos anos 30, o clube mostra que suas intenções estão diretamente ligadas à essência, resgatando fielmente apenas o que oferece satisfação aos ouvidos.
#15 - Park Art
Localizado em Pinhas, região metropolitana de Curitiba (PR), o Park Art conta com uma estrutura em formato de domo geodésico inaugurado em 2012. Em 2016 foi aberta a segunda pista, com uma área de aproximadamente 5.000m² que transformou o club em um ambiente com ainda mais capacidade para receber grandes artistas e festivais, sem que se altere a configuração original do espaço. Além de uma referência em entretenimento, é um celeiro de novos nomes, sempre oferecendo oportunidades para artistas em início de carreira.
#16 - Terraza Music Park
A história do Terraza teve início no deck da Pacha em 2012, com uma proposta de vanguarda musical que conquistou Florianópolis e ganhou espaço próprio no complexo Music Park no segundo semestre do mesmo ano. Diferentes tribos formam uma só pista e o staff é constituído por um time de profissionais realmente envolvidos com a proposta e filosofia da casa. Após recriar a cena na capital do estado, o modelo de trabalho do club agora serve de exemplo para que outros núcleos se desenvolvam também, dentro e fora de Santa Catarina. Cabe assim ressaltar, e parabenizar, o público fiel da Terraza, que mesmo sem a casa fazer campanha, segue entre os mais votados em 2016, o que reflete de forma fiel a popularidade do club e a escolha dos frequentadores.
#17 - Club Vibe
Sendo o pioneiro em Curitiba a focar olhares no estilo eletrônico há 15 anos, o Club Vibe fez parte do início da consolidação do gênero na capital paranaense e também pode ser classificado como um influente a nível nacional por agregar ponto a cena com sua colaboração na viabilidade do contato entre o público brasileiro e artistas internacionais de renome. No line-up, artistas de destaque que prezam pela qualidade musical, valorizando assim DJs que representem a cultura eletrônica e a produção de vanguarda. Cabe assim ressaltar, e parabenizar, o público fiel da Vibe, que mesmo sem a casa promover campanha, segue entre os mais votados em 2016, o que reflete de forma fiel a popularidade do clube e a escolha dos frequentadores.
#18 - Belvedere Beach Club
Inaugurado em outubro de 2015, o Belvedere agrega muito requinte e glamour ao time dos clubes projetados impecavelmente. Em meio à natureza litorânea catarinense, o edifício se une ao terreno como um casamento predestinado. Com uma atmosfera particular destoada dos demais e espaços muito bem fragmentados, as arestas do beach club tornam-se moldura para os raios de sol que brotam no mar ao leste, oferecendo a todo espectador em cada evento, sensações inéditas e momentos inesquecíveis em Itajaí.
#19 - Sirena Maresias
Pioneiro no cenário eletrônico brasileiro, o Sirena dá aula no quesito clube há 23 anos. Considerado internacionalmente como um dos melhores do planeta, ocupou em 2016 a posição de número 9 do concorrido Top 100 clubs da revista inglesa DJ Mag. Possui capacidade para até cinco mil pessoas em suas duas pistas, movimentando grande parte do turismo de Maresias (SP). Já teve no line-up nomes como Afrojack, Erick Morillo, Armin Van Buuren, Fatboy Slim, Tiesto, Carl Cox, Bob Sinclar, entre outros. Cabe assim ressaltar, e parabenizar, o público fiel do clube Sirena, que mesmo sem a casa promover campanha segue, entre os mais votados em 2016, o que reflete de forma fiel a popularidade do clube e a escolha dos frequentadores.
#20 - Four Club
O Four Club surgiu em dezembro de 2013 com a proposta de trazer uma nova opção de entretenimento para o extremo oeste de Santa Catarina, numa estrutura que proporciona aos frequentadores desfrutar de dois ambientes: um coberto e um ao céu aberto com piscina. Localizada entre os municípios de São Miguel do Oeste e Descanso, os eventos da casa priorizam nomes em destaque da cena Brasileira de música eletrônica. Em 2015 conquistou a posição 33 no Top 50 clubs da House Mag.
#21 - Deputamadre Club
Sempre em busca de se atualizar a fim de acompanhar as mudanças da cena musical eletrônica, o clube Deputamadre, inaugurado em março de 2003, tornou-se ponto de referência em Belo Horizonte (MG). Divididas em partes instigantes, as áreas internas do clube são capazes de surpreender o visitante, que logo ao subir as escadas depara-se com um cenário contrastante, onde a modernidade dos leds se funde à alternatividade do set list, dificilmente desapontando o público autointitulado como fiel amante da casa noturna mineira.
#22 - Natural Forest Club
O Natural Forest Club surgiu em novembro de 2010 com a proposta de trazer à região do vale do Itajaí (SC) os novos talentos da cena eletrônica. Como o próprio nome sugere, a arquitetura do club – em estilo balinês – une aspectos orientais à exuberante natureza da Mata Atlântica local. Dessa forma, em meio a bambus e lagoas, seus frequentadores podem desfrutar de um ambiente confortável e exótico. Em 2015 conquistou a posição 42 no Top 50 clubs da House Mag.
#23 - Field Club
Entre uma linda paisagem e com a cultura da música eletrônica ainda pouco difundida, nascia em meados de 2010 um novo club em Papanduva (SC). O Field quebrou barreiras e suas próprias expectativas iniciais ao acreditar, investir e trabalhar em uma cidade com pouco mais de 20 mil habitantes. Após completar seis anos de existência, o grupo tem orgulho de observar que é referência entre estabelecimentos, DJs e agências do Brasil, alcançando atualmente um importante marco no entretenimento noturno.
#24 - Place Lounge
O Place Lounge surgiu com a proposta de aliar um ambiente confortável a nomes em destaque no cenário da música eletrônica. Alex Niggemann, Deep Mariano, Southmen, Ricky Ryan, dentre muitos outros, já agitaram as inesquecíveis noites do club. Inaugurada em junho de 2008, a casa localizada em Cocal do Sul, a 10 km de Criciúma, vem notadamente se destacando, tornando-se referência no sul de Santa Catarina, com eventos voltados para um público que prima por desfrutar de uma programação mensal de qualidade.
#25 - Beehive Club
Fruto da carência de opções de uma cidade universitária e com o objetivo de realizar apenas três eventos (de setembro a dezembro de 2006), nasceu em Passo Fundo (RS) a Beehive Club. O intuito de apresentar também artistas distintos fez nascer em 2012 a Hija (pista menor no andar superior e capacidade para 300 pessoas), que tem realizado dois eventos por mês. Sempre fiel à proposta, consolidou-se na cena eletrônica, sendo eleito em 2016, inclusive, o melhor club fora das capitais pelo Prêmio RMC. Cabe assim ressaltar, e parabenizar, o público fiel do Beehive, que mesmo sem a casa promover campanha, segue entre os mais votados em 2016, o que reflete de forma fiel a popularidade do clube e a escolha dos frequentadores.
#26 - 2800 Music Club
Atuando no ramo de eventos há sete anos, a fórmula de sucesso da 2800 Music Club reside em uma curadoria musical aplicada, público engajado e um trabalho sério e de muito respeito com o cliente. Com investimentos massivos e constantes em estrutura, segurança, atendimento e atrações têm atraído a atenção do público de Londrina (PR) e região. Colocando a cidade no circuito das melhores festas do país, ocupou em 2015 através do voto popular a 36ª posição do Top 50 clubs da House Mag.
#27 - Todai-Ji Club
T?dai-ji originalmente é um complexo tradicional de templos budistas em Nara, Japão. Fazendo jus ao nome, o club, localizado no município de Tubarão (SC), tem sua arquitetura rústica e oriental influenciada por esses fascinantes templos. Inaugurado em setembro de 2011, o ambiente tem capacidade para receber mais de 2.300 pessoas, já tendo recebido nomes como Michael Canitrot (FRA), Good Will (AUS), Sebjack (SUE), Cristian Luck (AUS), Gustavo Bravetti (URU) e Diego Miranda (POR).
#28 - Chakra Club
Buscando trazer as características de um club voltado às sonoridades conceituais para São Bento do Sul e região, em 2011 o Chakra abriu suas portas. Com apresentações de DJs de renome internacional, como Murphy, Dimitri Nakov, Tapesh, Ney Faustini e Joyce Muniz, mantem com personalidade a proposta inicial da casa. Localizado no planalto norte catarinense, em meio a muita natureza e ótima estrutura, prioriza proporcionar ao público uma experiência de harmonia com o ambiente, liberdade e diversão.
#29 - Luau Club
Localizado na praia de Jaguaruna (SC), através de um espaço amplo em meio à natureza e de um atendimento pensado nos mínimos detalhes, o Luau Club está prestes a comemorar um ano de história. Com duas pistas, sendo o main stage para atender as sonoridades do house ao techno, e o Dark Stage para as vertentes do progressive / psy trance, já recebeu nomes como Alex Stein, Victor Ruiz, Violet, entre outros, em um club criado especialmente para amantes de música eletrônica.
#30 - Pacha Floripa
Nascida na Espanha há quase 40 anos, a Pacha tem o objetivo de transmitir com lealdade o mundo mágico de Ibiza para os mais diversos cantos do mundo. Aterrissando em Florianópolis no ano de 2008, deu mais sensualidade ao complexo Music Park com sua decoração que, frequentemente, remete ao quente da cor vermelha. Após oito anos na capital catarinense, não se firmou apenas como um lugar para ir, e sim uma maneira de se divertir, em um lugar onde a música é o veículo de liberdade e desejos. Ou seja, um estilo de vida.
#31 - Cafe de la Musique - Jurerê Internacional
Inspirado nos balneários europeus, há 10 anos o Café de La Musique transformou Jurerê Internacional numa praia badalada repleta de jet-setters dispostos a muito luxo e requinte. À beira-mar, segue a proposta beach club ao proporcionar diversão e sofisticação através de sunsets inesquecíveis, além é claro dos eventos de réveillon e Carnaval que conquistaram o público.
#32 - Villa 13 Sunset Club
Em meio a uma paisagem paradisíaca do sul catarinense, o Villa 13 Sunset Club traz desde setembro de 2014 nomes como Aninha, Leozinho, D-Nox e Oliver Giacomotto para sua programação semanal. A arquitetura é realçada pelo cinza das pedras que contrastam com o verde dos arredores, formando um ambiente convidativo para seus frequentadores, presentes nos badalados finais de tarde da casa. Cabe assim ressaltar, e parabenizar, o público fiel dos Villa 13, que mesmo sem promoverem campanha, estão entre os mais votados em 2016, o que reflete de forma fiel a popularidade da casa e a escolha dos frequentadores.
#33 - Maori Beach Club
Inaugurado no réveillon de 2011 em Xangri-lá (RS), o Maori recebe mais de 80 mil pessoas por temporada, e já teve Bob Sinclair, Fatboy Slim, Tiesto, Steve Aoki e W&W como headliners. De aparência rústica e de espírito acolhedor como o povo que deu o nome a casa, dispõe de uma mega pista e áreas reservadas, sendo considerado atualmente uma das principais marcas do entretenimento no sul do Brasil.
#34 - Amazing Club
Com uma paisagem exuberante e vista para a ilha de Florianópolis, o Amazing Club surgiu em agosto de 2015 como uma opção de entretenimento e lazer para o público fiel da música eletrônica na região de Palhoça (SC). Além de sua estrutura completa e localização privilegiada, já recebeu nomes como Digitaria, Sharam Jey, Amine Edge & Dance e Loulou Players.
#35 - Aborígene Club
Inaugurado em fevereiro de 2016, o Aborígene Club está situado em União da Vitória (PR) com a proposta de trazer variados tipos de eventos para a cena de música eletrônica do sudeste paranaense. Através de uma arquitetura que harmoniza com a natureza da região, é aclamado pelo público pela energia das noites de festa, sob o comando de nomes como Volac, FlexB, Liu e Gustavo Mota.
#36 - Bali Hai
Foi em Piçarras, no verão de 1994/1995, que surgiu o primeiro Bali Hai; sendo no visual da baía de Porto Belo, no ano de 2001, o cenário da segunda casa brasileira do grupo. Garopaba, em 2005, comprovou que a fórmula de produzir uma vibe irresistível – que caracteriza o conceito do club –, aliando diversão, música e entretenimento expandia cada vez mais esse sucesso em direção às praias do sul.
#37 - LifeClub Floripa
Há mais de 10 anos no cenário, e capacidade para dez mil pessoas, o club aposta na versatilidade de estilos como marca principal. A arquitetura da casa, em forma de grandes bangalôs, promovem um ambiente convidativo para seus frequentadores, com noites embaladas por nomes como Antonela Giampietro, Alex Justino, Do Santos, Volkoder, Paranormal Attack e Skazi.
#38 - The Week São Paulo
Criada em 2004 a partir do sucesso da festa itinerante “Toy”, a The Week uniu talentos do entretenimento e revolucionou o conceito da noite paulistana. A inovação, qualidade e criatividade da marca a fizeram se tornar estabelecida e reconhecida internacionalmente. A casa, com pouco mais de uma década de existência, é sempre atualizada por um trabalho de constante reinvenção. Cabe assim ressaltar, e parabenizar, o público fiel do clube The Week, que mesmo sem promoverem campanha seguem entre os mais votados em 2016, o que reflete de forma fiel a popularidade do clube e a escolha dos frequentadores.
#39 - Silk Beach Club
Inaugurado no início de 2014, o Silk Beach Club é um espaço de lazer a beira mar que propicia descanso, diversão e alta gastronomia em Búzios, cidade turística a duas horas do Rio de Janeiro, capital. O luxo privativo é a marca registrada deste lugar paradisíaco que reúne conforto e atendimento especial, abrigando festas embaladas por nomes como Meme, Keskem e Glen.
#40 - Club 33
Inaugurado em setembro de 2013, e aberto de quinta a sábado, o Club 33 está localizado em São Paulo (SP). Através de uma proposta sofisticada, a casa conta com uma ampla pista de dança, iluminação especial e equipamento de som de última geração. Trazendo sempre uma programação eclética dentro da música eletrônica, já recebeu nomes como Magal, Marcelo Cic, Gabe e Sesto Sento.
#41 - Sonnora Club
O sonho de tornar a Serra Catarinense um dos polos da música eletrônica nacional surgiu a partir de uma simples festa itinerante de final de ano na cidade de Lages. O sucesso da label "SoNNora" foi tanto que logo se tornou a base para a construção do clube, que já se encontra em atividade há três anos, fomentado uma identidade conceitual que tem conquistado um público fiel em toda região.
#42 - Dna Club
Localizado em Santo Amaro do Imperatriz (SC), o DNA Club conta com uma estrutura inovadora em que divisórias podem se movimentar durante a festa a fim de regular a capacidade do ambiente, indo de 600 a 2.000 pessoas conforme a necessidade. Possui camarotes centralizados, que giram junto com a pista trocando de posição em relação a cabine de DJ, além de um teto que se abre em noites de tempo bom.
#43 - Nite Club
Localizado em Maringá (PR), o Nite club é referência em música eletrônica há 18 anos, acolhendo seus clientes com ambientes sofisticados, aconchegantes e bem decorados. A casa, inspirada em clubs europeus, recebe semanalmente nomes como Gui Boratto, Dashdot, Stekke, Renato Ratier, Tessuto e L_cio. O sistema de som fica por responsabilidade da D.A.S., considerado um dos melhores do mundo.
#44 - Escritório Bar Londrina
Aberto desde 2007, o Escritório é uma casa de programação eclética. Apesar de não se limitar apenas a música eletrônica, o clube de Londrina (PR) já festejou ao som de Elekfantz, Bruno Be, Thomaz Krause, Anderson Noise, Boghosian, Mau Mau, Mandi Hafez, dentre outros. Recentemente, passou por uma reestruturação total, com ambientes reformulados e nova programação.
#45 - Fishbone Buzios
Fundado em 2000, na praia de Búzios (RJ), o Fishbone realiza todos os sábados suas tradicionais festas sunset. À beira mar e em íntimo contato com a natureza, os frequentadores sentem-se em uma verdadeira casa de praia, o que se tornou um dos ingredientes mais charmosos do club. Já recebeu nomes como Maurício Lopes, Felguk, Vintage Culture, Jerome Isma-Ae e Bushwacka.
#46 - Nudh Club
Inaugurado em 2013 na cidade de Gaspar (SC), o Nudh tem sua estrutura montada em uma casa reformada e decoração com dezenas de quadros. Com capacidade para 1.000 pessoas, possui duas pistas, sendo a externa destinada aos sons populares dentro da música eletrônica, e a interna onde atuam os núcleos e DJs mais conceituais como Tarter, Albuquerque, Blancah, Gromma, Guilherme Konnin, entre outros.
#47 - Concorde Club
Localizado no centro de Florianópolis (SC), o Concorde Club tem mudado as noites de sábado da capital catarinense desde 2001, tornando-se consagrado por trazer grandes atrações da música eletrônica no circuito GLS. Com tecnologia visual de ponta e painéis Leds Light ao redor do dance floor, a casa possui quatro bares, camarotes com sofás e vista privilegiada da pista e DJs.
#48 - Fazenda Club
Localizado em Biguaçu (SC) e com a proposta de fortalecer a cena eletrônica da região metropolitana de Florianópolis, o Fazenda Club alia música a lindas paisagens naturais. Inaugurado em janeiro de 2016, nomes como Ashibah, Gabe, Violet e FractaLL já estiveram no lineup da casa, que tem como tema uma estrutura que – como sugere o nome – lembra perfeitamente o conforto de uma boa fazenda.
#49 - Banana Joe
Instalado na charmosa praia de Ubatuba e pertencente à cidade histórica de São Francisco do Sul (SC), o Banana Joe (inaugurado em 2000) recebe milhares de jovens durante as temporadas de verão. Com capacidade para comportar até três mil pessoas, sua estrutura é renovada todos os anos, recebendo nomes como Alex Stein, Chemical Surf, Groove Delight e Ftampa.
#50 - Sky Beach
A Praia do Estaleirinho, em Balneário Camboriú (SC), é o cenário escolhido pelo Sky Beach para receber pessoas de todos os lugares em busca de um espaço de conforto e muito bom gosto. Realizando seus famosos sunsets, que já chegaram a reunir quatro mil pessoas, além das festas anuais de Réveillon e Carnaval, o club alia expoentes locais a nomes como Phonique, Diogo Accioly e Claptone.